Artigo: Redes de Valor e de Cooperação : evoluindo com a Inteligência Empresarial – série 1
Publicado em 22/10/2009
Autor: Daniela Ramos Teixeira
Download (pdf 208 kb)

Envie seu Comentário

Nome *
E-mail *
Site
Comentário *

Equipe REVIE Inteligência Empresarial
30/10/2011 13:48:16
Olá Adriani, Esse artigo está disponível nos links abaixo. http://www.revie.com.br/site-artigo?id=40 http://www.revie.com.br/site-artigo?id=36 http://www.revie.com.br/site-artigo?id=39 Fizemos os testes e todos os links estão ‘baixando’ o artigo. Você tem instalado o Adobe reader? Todos os artigos estão em PDF, sendo necessário esse programa disponível na internet. Obrigada pelo contato e interesse. SDS, Equipe REVIE Inteligência Empresarial
Adriani
22/10/2011 22:11:27
Olá, Parabéns pelo ótimo site, estou comum probleminha... Não estou conseguindo baixar seu dowload. Abraços. Adriani
Daniela Ramos Teixeira
15/03/2011 15:11:08
Olá Angela, obrigada pela contribuição. O cliente pode comprar produtos/serviços diretamente de quem fabrica e, com isso, diminuir as trocas na rede de valor. Mas isso já acontece. Pense na cadeia do varejo: varejistas, atacadistas, hiper/supermercados, consumidor final. Podemos comprar vários produtos direto do atacado e acontece exatamente o que comentou. Por isso ressalto que os acordos entre os parceiros da rede precisam ser muito bem amarrados para evitar futuras complicações na formação e manutenção dessas redes de cooperação empresarial. Espero ter respondido a sua dúvida. Abçs Daniela Ramos Teixeira dteixeira@revie.com.br
Angela Ferraz
05/03/2011 19:09:05
Em minha opinião a "Rede de valor" é um modelo interessante, principalmente no que diz respeito a ligação entre diversos parcerios da cadeira de suprimentos e o cliente final trazendo muito mais transparência nas negociações. Entretanto no que se refere a troca de informações com concorrentes é preciso uma avaliação mais cuidadosa devido a importância das informações e a confidencialidade. Tenho uma dúvida: - Com a rede de valor, é fundamental que o relacionamento entre fabricante, distribuidor e outras partes sejam sólidos evitando com isso distorções entre fornecedores e clientes. Mas o cliente pode burlar algumas etapas, buscando adquirir produtos diretamente da fonte, conforme 3 - página 6 do texto em questão? Angela Ferraz